Tags

Related Posts

Share This

Para Nascer Bem é preciso ter informação

O desenvolvimento da ideia inicial, intuitiva, tem que passar por um longo processo antes de se transformar em um negócio de sucesso. Para ensinar o empresário a lapidar a inovação e gerar um produto ou serviço atrativo, o Sebrae oferece cursos, treinamentos, consultoria, informações técnicas e acesso a serviços financeiros.

Cada vez mais pessoas têm procurado ajuda. No 1º semestre deste ano, a quantidade de atendimentos no balcão do Sebrae em Mato Grosso do Sul aumentou 67% em relação aos primeiros seis meses de 2010.

De 2009 a 2011, o Sebrae investiu R$ 14 milhões em projetos e atendimentos voltados à inovação nas empresas do Estado – sendo que 30% (R$ 4,2 milhões) desse montante foi aplicado em Campo Grande. Foram 1.131 empresas atendidas com soluções de inovação somente neste ano, 472 delas na Capital.

São vários os programas de acesso à inovação e tecnologia como o PAPPE (Programa de Apoio à Pesquisa para a Pequena Empresa) Integração, o Programa Agentes Locais de Inovação, Programa Sebraetec (Sebrae de Consultoria Tecnológica) e as consultorias para certificação de produtos orgânicos. Esses programas são feitos por meio de parcerias.

Procurar auxílio faz bem para as empresas. Conforme a assessoria de imprensa do Sebrae de Mato Grosso do Sul, o índice de sobrevivência das empresas atendidas pelo programa Nascer Bem nos dois primeiros anos de vida é de 100% no Estado. Sem o acompanhamento, o índice cai para 78,7%. Já o percentual nacional de sobrevivência das micro e pequenas empresas é praticamente o mesmo: 78%.

O Nascer Bem é um projeto do Sebrae/MS criado para quem tem o sonho de abrir o próprio negócio. O empreendedor recebe acompanhamento durante o nascimento e o desenvolvimento da empresa nos primeiros anos de vida.

Especialistas dão orientação de como fazer o plano de negócio, o que permite saber se a ideia é viável, e a empresa recebe gratuitamente a visita de um consultor na área de planejamento empresarial. Esse profissional identifica, propõe e monitora a implementação de ações de melhoria de acordo com a realidade do negócio.

No caso da empresa aberta com até dois anos, o consultor faz um diagnóstico e elabora um plano de ação com o empresário, além de acompanhar a evolução do empreendimento.

Em Campo Grande, 698 empresas são acompanhadas por meio do projeto – um aumento superior a 30% em relação ao ano passado, quando eram 468.

Além do Nascer Bem e dos programas de acesso à inovação, o Sebrae/MS mantém projetos como o Negócio a Negócio, que fomenta a economia de bairros em parceria com a AMEMS (Associação das Microempresas do Estado de Mato Grosso do Sul), e o Empretec.

Por meio do Negócio a Negócio, 21 empresas de bairros receberam atendimento gratuito. Técnicos vão de porta em porta fazendo diagnóstico, montando planejamento e orientando os empreendedores.

Empretec - Empregando metodologia desenvolvida pela ONU (Organização das Nações Unidas), ministrada no Brasil com exclusividade pelo Sebrae, o Empretec é um seminário com o objetivo desenvolver características de comportamentos empreendedores nos participantes.

O participante identifica seu potencial, seus pontos fortes e fracos, estuda as dez características do comportamento empreendedor e ainda tem a oportunidade de vivenciar mudanças comportamentais, revendo conceitos e atitudes. O Empretec é o produto mais bem avaliado na história do Sebrae, com 93% de opiniões considerando-o excelente.

Mais de 3.000 pessoas participaram do Empretec em Mato Grosso do Sul. Desde 2010, o seminário também realiza turmas com empresários do Paraguai e da Bolívia nas unidades do Sebrae em Ponta Porã e Corumbá, respectivamente.

Quem quer dinheiro? - E se o empecilho para montar o tão sonhado negócio é a falta de dinheiro, o Sebrae/MS possui convênio com instituições financeiras oficiais para facilitar o acesso às micro e pequenas empresas na hora de buscar o crédito necessário para seus projetos de implantação ou expansão.

Atualmente são disponibilizadas 12 linhas de financiamento de microcrédito, oferecidas pelo Banco da Gente, Credigente e Sicredi, com limites que variam de R$ 3 mil até R$ 15 mil. Há também seis linhas de financiamento com capital de giro para pessoas jurídicas e cinco com investimento fixo ou misto, com limites de R$ 1 mil a R$ 400 mil.